Apesar de ser um hábito simples e necessário, muitas pessoas têm dificuldades para dormir. Justamente por isso, muitos profissionais estudam diversas maneiras de melhorar o sono da população.

Existem diversas formas de facilitar o sono, desde técnicas e hábitos, de forma que o sono se torna o mais natural possível. Esses hábitos vêm desde a alimentação, até mesmo práticas de determinados exercícios, meditação e posições.

A organização das atividades diárias através de rotinas pré-estabelecidas também são uma forma de se alcançar uma boa noite de sono.

Contudo, nada é mais importante que o equipamento adequado. Uma cama, um colchão, um edredom e um travesseiro, que é um item bastante subestimado, muitas pessoas acreditam que o travesseiros são itens secundários e desnecessários, mas a verdade é que eles cumprem uma função muito importante para o sono, já que apoiar a cabeça na hora de dormir, pode fazer toda diferença na qualidade do sono.

Para ajudar a escolher as melhores opções, selecionamos algumas dicas de tipos de travesseiro e suas funcionalidades:

Penas e plumas:

Considerados os travesseiros mais caros e sofisticados de todos, os travesseiros deste tipo são feitos com penas e plumas de ganso da raça “embden”, oriunda da região do Mar do Norte, dos Países Baixos e da Alemanha.

Muitas pessoas confundem pena com pluma, e de fato os dois materiais são parecidos e tem origem do mesmo animal.

As penas, como já é de se imaginar, são as hastes grandes e bem desenvolvidas que são retiradas das asas e da cauda do animal.

As plumas seriam como penas, mas pequenas. Elas são usadas no travesseiro em porções, como várias delas juntas. As plumas são retiradas da barriga, peito e dobras abaixo das asas do ganso.

Além de maciez, o que garante que o travesseiro se molde ao corpo da pessoa, independentemente da posição, travesseiros de penas e plumas de ganso, indiretamente contribuem para a redução de rugas, já que o ajuste perfeito que tem com o corpo elimina os pontos de pressão.

A qualidade desses travesseiros também se reflete na resiliência, pois consegue receber pressão de até 80 mil vezes o seu peso, e ainda manter o mesmo formato. Também são muito duráveis, e quando bem cuidados, podem chegar a 10 anos de vida útil.

Travesseiros de penas e plumas também podem manter o equilíbrio da umidade em relação ao ambiente, ou seja, não esquentam e nem esfriam. E como se já não fosse suficiente, eles também são biodegradáveis.

A única desvantagem desses travesseiros é que as penas podem ser um ambiente propício para o desenvolvimento de fungos e bactérias. Por isso é importante se atentar se o produto passou pelo processo de proteção antimicrobiana.

Espuma de Látex:

Diferente da tradicional, a espuma em látex possui uma série de perfurações, fazendo com que o ar ventile por dentro do travesseiro, o que além de resfriar o item, também diminui as chances de fungos, ácaros e bactérias.

A fibra natural, que é extraída diretamente da seringueira, dá ao travesseiro características de conforto e um toque aveludado, fazendo com que ele mantenha seu formato por muito tempo, mesmo depois de receber bastante peso.

Espuma de poliuretano:

O poliuretano (PU), também conhecido como “espuma compacta”, é um polímero formado por unidades de uretano ou carbonato, que é usado na fabricação de espumas rígidas e flexíveis. A principal característica dos travesseiros feitos deste material, é que eles são firmes, alterando pouco o seu formato mesmo com o peso da cabeça.

Se formato mais resistente faz dele uma ótima pedida para quem dorme de lado, pois um travesseiro mais firme impede que a cabeça fique muito baixa e desalinhada com a coluna, o que normalmente acontece com travesseiros muito macios.

O ideal é que pessoas que dormem de lado mantenha a inclinação da cabeça em um ângulo de 90 graus, de forma que a cabeça não fique nem muito baixa e nem muito alta e os travesseiros de espuma poliuretano são perfeitos.

Contudo, a exposição direta ao poliuretano pode ser prejudicial para pessoas que sofrem de problemas relacionados à tireoide, pois o material é revestido por retardadores de chama, que podem interferir no funcionamento da glândula. Na ausência desses retardadores, o poliuretano se torna um material altamente inflamável.

Espuma viscoelástica:

Também conhecido como “travesseiro da NASA”, os produtos feitos a partir da espuma viscoelástica são caracterizados por sua estrutura automoldável, ou seja, se adaptam ao contorno da cabeça, marcando o contorno em sua superfície. O material viscoelástico não é nem muito macios, pois não permite que a cabeça afunde por completo, e nem muito firmes, o que deixaria a cabeça muito alta.

O material dos travesseiros de espuma viscoelástica também são termossensíveis, ou seja, adaptáveis à temperatura da cabeça, não sendo nem muito frios e nem muito quentes.      

Por ter se tornando um travesseiro bastante popular e com preços acessíveis, é muito fácil encontrar “versões alternativas” e falsificações.

Flocos de espuma:

São o tipo mais comum encontrado no mercado. Esses travesseiros são fabricados com espuma padrão, mas cortada em pequenos pedaços, de forma que o material fique espalhado no interior do produto, deixando o travesseiro mais macio e facilitando a circulação de ar em seu interior.

A maior desvantagem está na distribuição interna dos flocos de espuma, que, quando mal colocados, podem se espalhar para os lados, o que faz com que a cabeça afunde, deixando-a desalinhada do pescoço.

Microfibra:

Também conhecido como poliéster, esse tipo de produto é uma boa opção para quem não gosta de travesseiros pesados, pois estes são flexíveis e leves, mesmo que ainda mantenham uma certa resistência.

Apesar de confortáveis, os travesseiros de microfibra carregam uma desvantagem considerável: esquentam muito. Isso acontece devido ao material sintético de sua composição, que absorve o calor transferido pela cabeça e pelo corpo, aquecendo progressivamente.

Espuma com molas:

Este é provavelmente o travesseiro menos conhecido do mercado, contudo, carrega algumas vantagens interessantes.

Sua estrutura interna, composta por molas e espuma, permite uma maciez considerável, mesmo que não altere seu formato tão facilmente. Sua resistência garante uma vida útil maior que a maioria dos travesseiros.

Contudo, seu maior diferencial está nos benefícios para saúde, principalmente para quem sofre de alergia a poeira e ácaros, pois seu material é totalmente antiácaros, fungos e bactérias.

Agora que você conhece todos os tipos de travesseiros, não deixe de acessar o catálogo da Portobel, onde você encontra as melhores opções de colchões e travesseiro do mercado.